LÍNGUA PORTUGUESA – 1º ANO


1° Ano do Ensino Médio 2011 ( Prof: Dimitri Sarmento).

Processos de Formação de Palavras.

Existem alguns processos básicos de formação de palavras em língua portuguesa e esses vêm sendo usados para a criação de neologismos, ou seja, para criação de palavras que nomeiam novas coisas e conceitos antes inexistentes no nosso cotidiano.

Os principais processos são a DERIVAÇÃO e a COMPOSIÇÃO. Veja agora como funciona cada um desses processos:

Derivação – é um processo que consiste no acréscimo de morfemas a um radical já existente, a fim de representar um conceito relacionado à palavra original. Existem cinco processos de derivação.

Exs: formareforma, teatroanfiteatro, operaçãocooperação.

Exs: pedrapedreira, engenheiroengenharia, igualigualdade etc.

  • Parassíntese: consiste em adicionar ao radical, ao mesmo tempo, um prefixo e um sufixo.

Exs: venenoenvenenamento, vermelhoavermelhado, frioesfriamento etc.

  • Regressão: geralmente são substantivos oriundos de verbos, e consistem na supressão das desinências verbais.

Exs: buscarbusca, morrermorte.

  • Conversão ou Derivação Imprópria: esta derivação não modifica a palavra, consiste apenas em mudar a classe gramatical, geralmente transformando o verbo em substantivo.

Exs: o saber, o porquê etc. Consiste também em usar adjetivos como se fossem advérbios, por exemplo: “andar rápido”, “jogar bonito” .

Composição – é o processo que consiste em unir dois ou mais radicais para formar uma nova palavra. Existem dois  processos básicos de composição.

  • Composição por justaposição: quando as palavras que se juntam não perdem nenhum fonema, mantendo a pronúncia que apresentam antes da composição.
    Exs: passatempo (passa + tempo); couve-flor (couve + flor); girassol (gira + sol); pé-de-moleque (pé + de + moleque).
  • Composição por aglutinação: quando pelo menos uma das palavras que se unem perde um ou mais fonemas, sofrendo, assim, uma mudança em sua pronúncia.
    Ex: petróleo (petra + óleo); fidalgo (filho + de + algo).

Outros Processos de Formação de Palavras

Alguns autores costumam destacar outros processos de formação de palavras, vejam alguns:

  • União de radicais: processo semelhante ao de aglutinação, consiste em juntar elementos radicais do latim ou do grego para dar um novo significado.

Exs: pedofilia (pedo, “criança” + filia, “atração”), agrícola (agro, “campo” + cola, “aquele que habita”).

  • Hibridismo: consiste em unir elementos sendo cada um oriundo de um idioma.

Exs: automóvel (latim e grego), alcalóide (árabe e grego).

  • A quem considere a figura de linguagem Onomatopéia como um processo de formação de palavras – a palavra criada a partir do som que ela representa.

Ex: cacarejar, zumbir, reco-reco, ronronar, pow!, pá!.

As siglas também são vistas como processos de formação de palavras para alguns, sendo nomeado de Acrônimo. Veja a definição colocada pela maioria:

“É uma forma de composição que consiste em juntar letras ou sílabas de outras palavras para dar origem a uma nova. Na maioria dos casos (mas nem sempre), o acrônimo serve para designar nomes próprios, não sendo, portanto, um processo tradicional de formação de palavras. Os acrônimos podem ser de duas categorias:

  • Silabáveis: formam efetivamente uma nova palavra, podendo ser pronunciada de acordo com as normas do idioma. Exemplos: Infraero (Infraestrutura Aeroportuária), USP (Universidade de São Paulo), Petrobrás (Petróleo Brasileiro).
  • Não silabáveis: não formam propriamente uma palavra, sendo constituídos apenas pelas iniciais das palavras, sendo necessária a pronúncia do nome de cada letra. Exemplos: FMI, MST, SPC, PT”.

As Primeiras Manifestações Literárias no Brasil

As primeiras manifestações literárias no Brasil têm um caráter informativo por excelência. Expressa a visão do estrangeiro, europeu, deslumbrado pela exuberância dos trópicos, assim as temáticas limitam-se às paisagens naturais, à descrição dos povos indígenas, de seus costumes e cultura, das guerras de colonização, ou seja, a conquista e desbravamento das novas terras.

Durante todo o século XVI, os portugueses e os demais invasores europeus, despertados pelo fascínio por toda a América recém conquistada, registraram suas paisagens em cartas de viagem, muitas ilustradas, e estes documentos passam a compor o acervo de primeiras produções literárias feitas em terras brasileiras, mas não necessariamente um acervo nacional. A maior parte destes documentos está nos países colonizadores, já que eram produzidos por estrangeiros com o objetivo expresso de informar a suas nações sobre o que estavam encontrando no novo mundo.

O exemplo mais clássico dessa literatura e o documento de maior importância da época é a Carta de Pêro Vaz de Caminha, considerada por muitos historiadores a certidão de nascimento do Brasil. Com o nome original – Carta a el-Rei D. Manuel sobre o achamento do Brasil, é o documento no qual Caminha, o escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, registra as impressões sobre a terra achada, dando assim início à construção da literatura nacional, mais pela sua temática e não por outro motivo, já que se trata de um documento escrito por um português, para outro português. A carta hoje se encontraem Portugal. Conservou-se inédita por mais de dois séculos guardada no Arquivo Nacional da Torre do Tombo,em Lisboa. Em 1773 seria divulgada e apenas em 1817 publicado seu conteúdo no Brasil.

Os relatos dos padres da Companhia de Jesus, os Jesuítas, compõem também importante papel na formação da literatura brasileira.Destaca-se a obra de José de Anchieta que produziu poemas e autos, tipo de obra teatral da idade média que tinham o objetivo de difundir a cultura cristã aos índios.

Barroco

O estilo de época Barroco surge na Itália, entre o final do século XVI e perdura até meados do século VIII, e difundi-se por toda a Europa e América. É um movimento intimamente ligado à contrareforma e ganha força com ela devido ao momento histórico vivido no continente europeu. Ao contrário do movimento renascentista o Barroco é caracterizado pelo sentimento e não pela razão. A tentativa de conciliar todos os avanços sociais promovidos pelo renascimento e a retomada poderosa do Teocentrismo, imposto pela contrareforma, torna o homem angustiado e conflitante.

Todo esse sentimento é expresso nas artes trazendo características muito fortes ao movimento, uma riqueza de detalhes, o exagero e a exuberância nas artes plásticas, na arquitetura e da mesma forma na literatura. Essa última rica em figuras de linguagem, em inversões sintáticas, em jogos de palavras e ideias. O homem se divide em sentimentos opostos e as temáticas são sempre pautadas pela dualidade.

No Brasil o Barroco tem seu marco inicial em 1601 com a publicação do poema épico Prosopopeia, de Bento Teixeira. Mas o Brasil terá seus expoentes máximos na literatura barroca em Gregório de Matos e Padre Antonio Vieira.

Características literárias:

Culto do contraste: o poeta barroco se sente dividido, confuso. A obra é marcada pelo dualismo: carne X espírito, vida X morte, luz X sombra, racional X místico. Por isso, o emprego de antíteses.

Pessimismo: devido à tensão (dualidade), o poeta barroco não tinha nenhuma perspectiva diante da vida.

Literatura moralista: a literatura tornou-se um importante instrumento para educar e para “pregar” por parte dos religiosos (padres).

Figuras de linguagens eleitas: As antíteses, os paradoxos, as hipérboles e as metáforas.

Cultismo: Caracterizado pelos jogos de palavras, a escolha da linguagem rebuscada, culta e extravagante, valoriza as rimas ricas e as palavras mais puras.

Conceptismo: Caracterizado pelo jogo de ideias, de conceitos, utiliza-se da arte do bem falar para convencer. O jogo está no pensamento, no raciocínio, por traz da palavra, na oratória.

Leia mais sobre o Barroco em:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Barroco

http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=64

http://www.brasilescola.com/historiag/barroco.htm

Conheça mais sobre Gregório de Matos e , outro ícone da literatura barroca no Brasil, o Padre Antonio Vieira. Pesquise em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Greg%C3%B3rio_de_Matos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Vieira

Comunicação e Linguagem

A linguagem é algo inerente ao ser humano. Algo que evoluiu com o homem e que se aperfeiçoa sempre. Viver no mundo contemporâneo é um desafio e as inúmeras formas de linguagem permeiam o cotidiano de cada um na sociedade moderna. Abrem ou fecham portas, incluem os que as dominam e excluem aqueles despreparados ou que não dominam determinadas ou o maior número de linguagens. Muitos podem estar confusos, principalmente aqueles que não dominam a linguagem empregada nesse discurso. Vamos então tentar mudar a linguagem.

“Cara, vc tem que caí na real e se ligá que tem que aprendê a si comunicá bem! E tem de manjar de uma porrada de coisas. Seu melão tem de estar cheio, velho! Tem de escrever de todo jeito, pro irmão ou pro barão. Tem que mandá bem em toda parrada! Tem de sabê que até seu visual comunica velho! Que a parrada é sinistra e vc vai ficá dando vassilo!”

Temos aqui exemplificadas duas modalidades da linguagem. A linguagem culta e a coloquial. Mas primeiramente, você sabe o que é linguagem?

Linguagem é todo sistema de signos que servem de meio de comunicação. A comunicação pode se efetivar através de imagens, sons, símbolos, gestos, pela combinação de alguns desses elementos de maneira complexa, mas com uma única finalidade, comunicar. Esta é a função da linguagem.

 A linguagem culta, chamada por alguns de formal, é aquela que segue um padrão baseado na correção gramatical, na escolha das palavras, pela riqueza do vocabulário, pela hierarquização. A linguagem eleita como padrão da língua. Aquela que se deve dominar em provas e na maioria dos campos do trabalho e do conhecimento.

A linguagem coloquial, chamada por alguns de informal, é aquela que não respeita limites ou regras. Onde predominam a liberdade de comunicação, a velocidade e a descontração. Cultiva elementos como a criatividade, afetividade, despreocupação e é carregada de regionalismos, de gírias e outros elementos.

Cada uma das modalidades da linguagem mantém sua função e sua importância dentro do processo de comunicação. Cada uma delas deve ser respeitada como signo linguístico e nunca rebaixada como menor. Mas a linguagem culta, eleita como padrão, deve requerer do indivíduo maior atenção. E por quê? Pelo fato de ser a exigida socialmente. A especialização exige o domínio desta modalidade da linguagem, e para quem queira alcançar maior status social não há como fugir dela. Portanto limitar-se não é a melhor opção no mundo contemporâneo.

Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Desde 1° de janeiro de 2009 passou a vigorar no Brasil e em todos os países da comunidade de países de Língua Portuguesa o período de transição para adaptação às novas regras ortográficas do Novo Acordo Ortográfico. O período final é em 31 de dezembro de 2012.

Depois de muita polêmica o acordo foi firmado pelos países que tem a Língua Portuguesa como língua oficial. São eles Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor Leste.

Modificações foram feitas com a intenção de promover a união e proximidade entre esses países. Bom! Pelo menos essa foi a declarada! Alguns pontos geraram polêmica e principalmente o povo português não vem aceitando com muita abertura as novas mudanças. Por traz do acordo estão, na verdade, interesses meramente econômicos e quem tem a ganhar com isso?

De qualquer maneira os brasileiros terão de se adaptar as mudanças. Para você, jovem, que ainda não internalizou e repetiu por anos as regras antigas talvez não haja dificuldade em aprender o novo acordo. Basta fixar as novas regras com pesquisa e muita leitura. Para facilitar sua vida trazemos a você um pouco das novas regras e discutiremos o novo acordo de forma contínua e aos poucos iremos nos familiarizar juntos com ele.

A ABL (Academia Brasileira de Letras) dispõe de um link para quem tiver dúvidas sobre o acordo, é só acessar http://www.academia.org.br e procurar o serviço “ABL Responde” à direita na página. No entanto, não há prazo para que as repostas sejam enviadas, já que cada pergunta passará por análise da comissão de lexicografia e lexicologia. Já existem também sites que disponibilizam corretores ortográficos de textos com o novo acordo.

Para que você não fique  esperando, as regras do acordo estão difundidas pela rede, nos livros didáticos atualizados e vamos trazer na sua página de Língua Portuguesa material de estudo para leitura e debate. Começaremos com uma compilação de vários vídeos do programa – Plantão Ortográfico, do professor Pascoale Neto. Para se ter uma idéia da posição dos portugueses frente ao acordo, anexamos um vídeo de um programa português. Vamos então abrir o debate, participe e contribua para nosso aprendizado!

 Contribua postando regras que você pesquisou e que não foram citadas no plantão ortográfico e ajude-nos a construir esse conteúdo.

Conteúdos – III Unidade

Linguagem

  • Linguagem culta e coloquial e seus usos;
  • Neologismo, Estrangeirismos, gírias e regionalismos;
  • A linguagem nos meios de comunicação – Tv, rádio, internet;

Literatura

  • Barroco;
  • As primeiras manifestações literárias no Brasil;

Gramática

  • Os verbos e sua importância na classificação do predicado;
  • Classificação do predicado;
  • Concordância verbal e nominal;

Ortografia

  • Novo acordo ortográfico.

Compare os textos do Trovadorismo e do Clássicismo.

Atenção às características literárias de cada um.

Renascimento é a derrocada fatal da idade média e início da idade moderna, deixando para traz toda a crença absoluta no Teocentrismo e que os desígnios de Deus eram absolutos, imutáveis e que o homem só encontraria a salvação enquadrando-se nos moldes da igreja, a representante suprema da vontade divina. Essa nova filosofia que se instaura e que passa a reger as ações humanas é o Antropocentrismo. Um pensamento que tem o homem como senhor de seu destino e centro de todas as coisas.

Como um pensamento pôde mudar tudo. A partir de então cai o véu sombrio com a qual a igreja revestia a visão dos homens e aparece tudo que ficou mantido nos porões dos palácios e esquecidos por muito tempo. Renasce o próprio pensamento, renascem as artes, renasce a inspiração e aparece o homem, seus corpos e seus adornos, sua luz e seu brilho, a celebração do corpo humano. Renasce o legado da Grécia e Roma antigas, seus Deuses mitológicos e suas alegorias pagãs. Revivem os pensadores e desenvolvem-se seus legados deixados.

Esse despertar total começa na Itália e toma todo o continente europeu. O pensamento humanista, a valorização do homem e da natureza opõe-se ao divino e sobrenatural e provocam uma revolução social, impulsionando o progresso e transformando a civilização. A racionalidade, o rigor cientifico, a crença no poder individual transformando a pirâmide social. O desenvolvimento do capitalismo, da burguesia e do mercantilismo, dão novas asas à humanidade ela pode ir além das fronteiras dos oceanos e alcançar novos mundos.

A arte é o homem, nasce do homem, valoriza o homem, desnuda o homem. A luz reascende e o mundo sente até onde vai o poder do homem.

As artes vão imortalizar nomes como Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rafael e Botticelli. Dante Alighieri, Francesco Petrarca e Giovanni Boccaccio. Sá de Miranda, Antonio Ferreira e Luís de Camões. A retomada da antiguidade clássica traz consigo a busca pela perfeição estética tanto na pintura, escultura, arquitetura como na literatura. A pureza das formas, da poesia, trazem de volta o soneto, a métrica perfeita, a epopéia.

O Trovadorismo.

Numa escala temporal o Trovadorismo é o primeiro estilo de época estudado na Literatura, vejam:

O Trovadorismo abrange a época das origens da literatura portuguesa, assim como a formação de Portugal, do reino português. Um estado marcado pelo Teocentrismo ( Deus como o centro do universo, a vida voltada para a salvação da alma), dominado pelo poder da igreja e do sistema feudal. Uma sociedade com classes sociais marcadas, sem mobilidade social, com o rei e a igreja no topo da pirâmide, seguidos pela nobreza e na base os vassalos. É nesse contexto que se desenvolvem as primeiras manifestações culturais, e a literatura uma delas.

Os poetas dessa época eram chamados trovadores, pois faziam trovas, ou cantigas (poesias musicadas) que eram cantadas nas cortes, acompanhados por instrumentos musicais típicos da época medieval como a viola, a harpa e a lira. Era uma forma de entretenimento numa época marcada pelo atraso social, pelas cruzadas e domínio social.

As Cantigas  – Divididas por temáticas 

  Líricas –  as que falavam de amor: 

  • Cantiga de Amor
  • Cantiga de Amigo 

 Satíricas –  as que procuravam ridicularizar pessoas e costumes da época, com sarcasmo e maledicência.

  • Cantiga de Escárnio
  • Cantiga de Maldizer

Não deixe de ver na página nossos vídeos – “Introdução ao trovadorismo.”

leia mais sobre esse assunto em: http://www.brasilescola.com/literatura/trovadorismo.htm               http://pt.wikipedia.org/wiki/Trovadorismo

Crase

É a fusão da preposição “a” com o artigo feminino “a”. A ocorrência da crase é marcada pelo acento grave (`). Pode ocorrer também com as iniciais dos pronomes demonstrativos aquela(s), aquele(s), aquilo ou com o pronome relativo a qual (as quais).

 

Obs: Na dúvida  da necessidade do uso do acento marcador da crase em um “a”, uma dica é substituir o substantivo feminino que vier após o mesmo por um masculino. Na correção da frase o “a” deva ser mudado por “ao” mostra a necessidade da acentuação. Veja o exemplo:

Assisti a peça que está em cartaz.

Assisti ao jogo

assim na oração acima o “a” deveria levar o acento grave, pois ocorre a crase.

A condição para a ocorrência da crase é que a oração possua verbo transitivo indireto (VTI) regido pela preposição “a”, acompanhado de substantivo feminino como seu objeto indireto (OI).

Assim não ocorre crase antes de substantivos masculinos, verbos, de pronomes pessoais, de nomes de cidades que não utilizam o artigo feminino, da palavra casa quando significa o próprio lar, da palavra terra quando tem sentido de solo e entre palavras repetidas (Exs – cara a cara, dia a dia).

 

 

 

 

  

  

 

236 respostas para LÍNGUA PORTUGUESA – 1º ANO

  1. Bianca Cristina disse:

    Professor, eu “Amei” esse trabalho! Deixar os assuntos do colégio no blog, isso é muito legal, continue assim! Até mais.

  2. Flavia santos disse:

    Resumo do Trovadorismo

    Momento sócio-cultural:

    Idade média;
    Feudalismo: sistema de poder baseado na posse de terra;
    Supremacia do clero (teocentrismo) e da nobreza (senhores feudais, patriarcalismo);
    De escámio ( critica pessoal e/ou social indireta, irônica);
    De maldizer ( critica pessoal e/ou social direta );
    Prosa medieval: novelas de cavalaria;

    Caractéristicas literárias:
    Predominio da literatura oral, associada a música e a dança, as cantigas;

    Tipos de cantiga:
    De amor e de amigo.

    Autores

    Paio Soares de Taveirós- autor da Cantiga da Ribeirinha.
    D.Dinis- rei trovador e mecenas.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Flávia, obrigado pela contribuição para nosso estudo do Trovadorismo. Na sua pesquisa encontrou apenas dois tipos de cantigas? Acho bom aprofundar mais um pouco, não deixe de conferir o apontamento que estarei postando, deixe suas dúvidas e perguntas.

      Abraço.

      • flavia santos cerqueira disse:

        As cantigas de amigo e de amor são cantigas liricas, e existe também as de escárnio e a de maldizer que são sátiricas.
        Escárnio- critica pessoal,indireta,irônica, porém sem citação de nomes.
        Maldizer- critica pessoal direta,falava mal das pessoas atráves de um vocabulário de baixo calão.

      • lobatoumolharvirtual disse:

        É isso mesmo Flávia. A de se perceber também nas cantigas de amor a idealização da mulher amada, o amor cortês e nas cantigas de amigo a mulher que chora a distância do amado, sempre lembrando que amigo na cantiga significa namorado. Continue tirando suas dúvidas e acrescentando tópicos para debate.
        Abraço.

  3. alexandre campos disse:

    Quem era o trovador?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Alexandre! Trovador era o poeta da Era Medieval. Ele escrevia as famosas cantigas que estudamos em sala. Você pode saber mais assistindo ao vídeo “Introdução ao Trovadorismo”, em nossos vídeos.

  4. alexandre campos disse:

    Nos dias de hoje ainda existe comunicação através de desenhos?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Sua pergunta é no mínimo intrigante. A que tipo de desenhos você refere-se?
      Digo isso porque se você olhar ao seu redor poderá ver diversos desenhos que, é claro, comunicam muito, em outdoors, revistas em camisas.
      Como qualquer tipo de arte o desenho sempre transmite algum tipo de comunicação, desde sentimentos a ideologias.
      Mais uma coisa, não deixe de sempre, ao postar seus comentários, informar sua turma.
      Obrigado.

      • rafaela série:1m2 disse:

        Só quem podia ser trovador era os homens por quê?

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Oi Rafa! Discutimos muito isso na II unidade. Uma questão social. A mulher ocupava uma posição social inferior ao homem, como muitas vezes também é hoje, no século XXI, imagine no século XII?! Muito pouco era permitidos às mulheres.

  5. daniele disse:

    Resumo de sujeito

    Sujeito: é o termo da oração que funciona como suporte de uma afirmação feita através do predicado.
    Predicado: é o termo da oração que, através de um verbo, projeta alguma afirmação sobre o sujeito.
    Sujeito simples: É o sujeito que tem apenas um núcleo representativo. Aumentar o número de características a ele atribuídas não o torna composto.
    exemplos: Mariana pula corda.
    A menina saiu.
    Sujeito composto: É aquele que apresenta mais de um núcleo representativo, escrito na oração.
    exemplos: Fernanda, Dino e bandeira deram aula hoje.
    João e Maria foram ao parque.
    sujeito desinencial: é aquele que não vem expresso na oração, mas pode ser facilmente identificado pela desinência do verbo.
    Exemplos: Fechei a porta.
    Estava correndo atrás da borboleta.
    Esse sujeito também é conhecido como subentendido; implícito, oculto ou elíptico.

    Sujeito indeterminado: é o que não se nomeia ou por não se querer ou por não se saber fazê-lo. Podemos dizer que o sujeito é indeterminado quando o verbo não se refere a uma pessoa determinada.
    exemplos: Dizem que pedro e legal.
    Falaram muito bem da escola Dalva Matos.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Daniela, sempre identifique sua turma quando postar comentários, por favor. Esse apontamento sobre sujeito está bem legal!
      Outro dia um aluno tentava, sem sucesso, descobrir o sujeito da seguinte oração:
      “Custou muito dinheiro e tempo para procurar nos melhores joalheiros o par de brincos de ouro de Satine.” Você poderia esclarecer a ele qual é o sujeito e classificá-lo?

      • Gabriel Alcântara disse:

        aaa Dimitri essa é fácil! É só perguntar: o que custou muito dinheiro e tempo para procurar nos melhores joalheiros? Logo temos a resposta: O PAR DE BRINCOS DE OURO DE SATINE. E a classificação é SUJEITO SIMPLES… Eu não tenho certeza da classificação, pois, é meio confuso distinguir se o sujeito tem um ou mais núcleos nesse caso… Mas, aproveitando a oportunidade… explica aí, por favor!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Fácil… Brincos é o núcleo do sujeito. Pense – qual palavra concentra a idéia central sobre o sujeito? Ou melhor, qual palavra o faz imaginar esse objeto? Viu o núcleo?

  6. Jonatha santos 1m3 disse:

    Boa noite, meu nome é Jonatha. Pude ver a pergunta que o senhor fez a Daniela, mas eu gostaria de tentar responder, na minha opinião o Sujeito é Oculto da seguinte Oração:
    “Custou muito dinheiro e tempo para procurar nos melhores joalheiros o par de brincos de ouro de Satine.´´
    Acho que o sujeito é Oculto, pois não tem forma definida como EX: Pedro cortou a árvore , porque acho que na hora que o autor da frase fala – Custou muito tempo e dinheiro para procurar, ele está falando na primeira pessoa no singular pois ele está falando como se fosse ele que saiu para procurar os brincos; e é isso professor! Espero que minha opinião tenha alguma noção sobre o assunto :D

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Bom Jonatha, primeiramente obrigado pela participação no debate da questão. Queria que você ficasse atento ao seguinte, a analise de orações é como a matemática.
      Devemos partir de uma fórmula, já discutuda com os alunos em sala. O primeiro passo é achar o verbo da oração e apartir dele seguir a pergunta – “Quem é que/Que é que?
      Vejamos o enunciado – “Custou muito tempo e dinheiro para procurar nos melhores joalheiros o par de brincos de ouro de Satine.”
      Temos então o verbo CUSTOU – PERGUNTA: Que é que custou muito tempo e dinheiro para procurar nos melhores joalheiros?
      A resposta é o sujeito da oração. Então encontrado o sujeito o passo seguinte é classificá-lo. Esse sujeito é?
      Agora fiicou fácil? Dá para responder quem é o sujeito e qual sua classificação?
      Boa sorte e continue participando do blog.

      • Jonatha Santos disse:

        Bom dia profesor aqui é Jonatha mais uma vez. Obrigado pelas dicas estão me ajudando muito e o Blog está super legal ;D

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Que bom Jonathan. Use a abuse pois ele é feito para vocês.
        Fique atento que estarei postando uma vídeoaula sobre o Renascimento.
        Não deixe também de votar nas páginas, escolhendo nessas estrelinhas tudo que você julgar melhor ou pior, assim podemos ir classificando cada ítem e melhorando o que não estiver agradando.
        Abraço.

  7. daniele 1 m3 disse:

    sujeito da frase – o par de brincos de ouro de Satine.
    classificação – sujeito simples porque é quando na frase existe uma ação sendo praticada por um núcleo no singular ou plural.
    Na minha opinião é isso se estiver errado o senhor me explica porque na minha concepção a resposta é essa. Obrigada professor.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      É isso mesmo Daniela. Acrescentando que o núcleo do sujeito na oração é “brincos”.
      Sempre que tiver alguma dúvida pode postar que debatemos.
      Abração.

  8. alexandre campos 1m1 disse:

    O trovador fazia suas cantigas apenas por gostar ou havia algum lucro com as cantigas que criavam?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Alexandre, dê uma olhada na pergunta de Maiara e minha resposta. Lucro não era bem o objetivo de um trovador. Até porque a maioria deles era nobre. Talvez notoriedade, conquistar mulheres, satirizar pessoas da sociedade medieval. Ser conhecido por sua arte, suas cantigas. Usando um conceito bem atual, ser celebridade. Ser celebre por sua arte. Os trovadores de classes baixas, ou vassalos, poderiam conseguir certas regalías de seus senhores feudais, ou até mesmo do Rei, por seus versos, mas lucro propriamente dito não.
      Muito boa pergunta. Continue pesquisando e contribuindo com nossos estudos.
      Abraço.

  9. Maiara 1m3 disse:

    Olá professor, sou Maiara da 1m3. Gostaria de saber se na lírica medieval os trovadores só podiam ser artistas de origem nobre?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Maiara, boa pergunta!
      Não é que os trovadores só poderiam ser de origem nobre, seria normal o serem já que as pessoas letradas, que sabiam ler e escrever, da época normalmente eram nobres.
      A maioria de que se tem registro eram. Um exemplo é Paio Soares de Taveirós, autor da Cantiga da Ribeirinha, que já citamos em sala de aula, o Rei D. Dinis, entre outros.
      Mas não, talento não se compra. É claro que houveram trovadores do povo, que mesmo sem serem letrados criavam suas trovas, suas cantigas que se popularizavam de boca em boca.
      Difícil foi deixar registros dessas cantigas. pense nisso e continue suas pesquisas.
      Abraços.

  10. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor, sou Matheus do 1°m¹ gostaria de sabe A cultura portuguesa, no século XII, conciliava as três matrizes contraditórias por qual religião a católica, a islâmica ou a
    hebraica.

  11. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor, tenho uma pergunta que eu achei interresante. É verdade que o Renascimento marcou a transição da mentalidade medieval para a mentalidade moderna, ao traduzir novas concepções que tinham como referência o Humanismo, enquanto base intelectual que procurava definir e afirmar o novo papel do homem no universo.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Matheus!
      É uma pergunta? Parece uma afirmação encerrada com ponto final! Estou enganado? KKKKK.
      Brincadeiras aparte, teremos na aula de amanhã uma vídeoaula sobre o Renascimento seguida de debate que, acredito, trata bem sobre essa afirmação colocada aí!
      Você vai gostar! Até lá!

  12. Maiara 1m3 disse:

    Olhe eu de Novo professor, é muito bom tirar dúvidas aqui no blog. Agora gostaria que o senhor me tirasse esta dúvida aqui para que eu possa entender melhor. Porque “a cultura renascentista consagrou a vitória da razão abstrata, instância suprema de toda a cultura moderna, pautada no rigor das matemáticas que passaram a reger os sistemas de controle do tempo, do espaço, do trabalho e do domínio da natureza”.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Maiara, que bom que você esteja participando e que isso seja útil para seu aprendizado. Tomei a liberdade de colocar a frase presente em sua pergunta entre aspas, isso porque acho que você a leu em algum lugar. Falo isso porque também já li, não me lembro onde, e quando citamos uma frase de alguém coloca-se as aspas. Mas vamos lá!
      O que você tem nessa afirmativa é uma verdade muito simples. Apenas que o Renascimento teve como um dos princípios básicos a ciência, a explicação científica para os mistérios do universo e que apartir de então tudo em nossa sociedade, assim como é hoje, busca uma comprovação científica, é organizada de acordo com uma lógica, são estabelidos padrões de comportamento racionais, o estudo do universo e da sociedade. Tudo isso tem sua raiz na Grécia antiga, nos pensadores gregos e o Renascimento foi justamente a retomada dos estudos nascidos naquele tempo e seu desenvolvimento, fonte de inspiração para os clássicos.
      Deu para entender? Espero que sim!
      Abraço forte e bom estudo!

  13. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor, gostaria de sabe se o verbo pode ser colocado na terceira pessoa do plural, sem que se refira a nenhum termo identificado anteriormente e nem em outra oração.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      olá mais uma vez!
      Bom, o que você coloca é um caso de sujeito indeterminado. Um dos casos de sujeito indeterminado – verbo colocado na terceira pessoa do plural sem que se faça referência a nenhum sujeito anterior.
      Ex: Precisaram de sua ajuda.
      …é isso aí!!

  14. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    E também, quando o verbo está na 3ª pessoa do plural, fazendo referência a elementos explícitos em orações anteriores ou posteriores, o sujeito pode ser determinado?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Aí, já mudou o caso completamente. Quando há referência a um sujeito que ficou em uma oração anterior o sujeito será Determinado, já que você poderá obtê-lo em uma outra oração. Veja esse exemplo:
      “Maria fez um delícioso feijão tropeiro que ficou sobre a mesa, e foi à missa.”
      Temos aí três orações:
      Maria fez um delícioso feijão tropeiro ( Quem é que fez um…? Maria – sujeito simples);
      …que ficou sobre a mesa…( Que é que ficou sobre…? um delícioso feijão tropeiro – sujeito simples);
      …e foi à missa. ( Quem é que foi á missa? Maria – sujeito simples / determinado).
      Quando analisamos várias orações dentro de um período composto temos de estar atentos ao sujeito citado em orações anteriores.
      Deu para entender? Espero que sim!
      Abraço.

  15. Maiara 1m3 disse:

    Professor, por favor me responda essa pergunta: Porque Portugal era dominado pelo poder da igreja e do sistema feudal?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Bom Maiara, o Feudalismo era o sistema políticoeconomico na idade média. Naquela época tudo era muito diferente dos dias de hoje, a coisa só muda após o Renascimento.
      Você tinha dois centros de poder, o Rei e a Igreja. O primeiro, o escolhido por Deus, o segundo, representante de Deus na terra!
      Tudo isso mantido por um pensamento filosófico chamado Teocentrismo e porque eles detinham as terras, consequentemente, as fontes de sustento.
      Possuiam também exercítos que mantinham seu poder a base da força. Quer mais ou está bom?! kkkkkk.
      Só rindo, mas a coisa era feia!
      Amanhã teremos uma vídeoaula sensacional sobre o Renascimento. Imperdível!
      Abraço.

  16. Gabriel Alcântara disse:

    Esse blog é mesmo interessante e educativo, prova disso é que, tirei minhas dúvidas a respeito da crase… Eu imaginava que crase fosse o acento ` (grave) colocado sobre a vogal A, mas, na verdade, crase é a soma de dois AS preposição + artigo definido feminino e de inicio parece complicado, mas, para saber se usa ou não a crase, basta substituir o A por AO e tendo a combinação correta veremos se põe ou não crase.
    EX:
    Mamãe e eu fomos à praia.
    (será que fiz o emprego correto da crase?) para descobrir, basta utilizar a fórmula citada acima:
    Mamãe e eu fomos (substituimos por um substantivo masculino e colocamos a preposição AO)
    AO SHOPPING… Logo, descobrimos que, se eu pude substituir a preposição A pela preposição AO sem modificar o sentido da oração, eu posso sim usar a crase!!! Confuso?? impossível, porque com essa fórmula e o total conhecimento sobre as regras do emprego da crase, em menos de alguns ficará craque nesse assunto!!
    Espero que eu tenha ajudado, abraços!!!

  17. Maiara 1m3 disse:

    kkkkk. Obrigada pela resposta professor, me ajudou a entender melhor. Postei agora exemplos onde não acontece a crase e crase facultativa para o senhor, dá uma analisada e vê se estou certa.

    Exemplos de quando não ocorre a Crase

    Antes de verbo;
    – Voltamos a contemplar a lua.

    Antes de palavras masculinas;
    – Gosto muito de andar a pé.
    – Passeamos a cavalo.

    Antes de pronomes de tratamento, exceção feita a senhora, senhorita e dona:
    – Dirigiu-se a V.Sa. com aspereza
    – Dirigiu-se à Sra. com aspereza.

    Antes de pronomes em geral:
    – Não vou a qualquer parte.
    – Fiz alusão a esta aluna.

    Em expressões formadas por palavras repetidas:
    – Estamos frente a frente
    – Estamos cara a cara.

    Quando o “a” vem antes de uma palavra no plural:
    – Não falo a pessoas estranhas.
    – Restrição ao crédito causa o temor a empresários.

    Crase facultativa

    1. Antes de nome próprio feminino:
    – Refiro-me à (a) Julinana.

    2. Antes de pronome possessivo feminino:
    – Dirija-se à (a) sua fazenda.

    3. Depois da preposição até:
    – Dirija-se até à (a) porta.

    Casos particulares

    1. Casa

    Quando a palavra casa é empregada no sentido de lar e não vem determinada por nenhum adjunto adnominal, não ocorre a crase.

    Exemplos:

    – Regressaram a casa para almoçar
    – Regressaram à casa de seus pais

  18. daniele 1 m3 disse:

    Oi professor, o senhor debateu em sala hoje que antes do Humanismo o pensamento era que Deus era centro do universo e com o Humanismo chegou o Antropocentrismo e fez mudar o pensamento de muitos que achavam que Deus era o centro do universo, passaram a pensar que o homem era o centro do universo. Eu queria saber como esse pensamento fez tanta gente mudar de opinião e se tem um tempo exato que as pessoas levaram para se adaptar com esse novo pensamento?

    • Gabriel Alcântara disse:

      Olá Daniele!! Eu sou Gabriel de Alcântara do 1ºM2 e gostaria de te ajudar a obter a resposta para a sua pergunta, que a propósito é interessante.
      Quero não está errado, mas, creio que quem não ficou nada contente com a “nova” opinião das pessoas, foi a igreja, que depois do pensamento dos homens de que Deus não era o centro de todos os ocorridos, logo, perderia o “poder” sobre as pessoas. E foram muitas pessoas que mudaram suas opiniões a respeito do teocentrismo (Deus no centro de tudo) e passaram a confiar em si mesmo, deixando de lado essa ideia de que tudo era o próprio Deus o causador, e creio eu que não levou muito tempo para a adaptação dessa ideia não, até porque o homem estava seguro de seus “novos” pensamentos… Agora Daniele, pesquise mais, porque isso foi o que “eu” entendi do assunto, mas, o professor Dimitri pode te explicar melhor….. Abraços aí!!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Dani. Claro que uma sociedade não se transforma da noite para o dia. Tudo leva tempo, mas os pensadores da época levavam seu pensamento ao maior números de pessoas, os artístas sua arte, e assim as coisas foram aos poucos se alastrando. As pessoas mais esclarecidas passam a difundir o mesmo pensamento e tudo vai mudando. Como debatemos, até hoje ainda existe muita gente com a cabeça do século XII, concorda?

  19. Harlen Eloi 1m3 disse:

    Oi professor fiquei com uma dúvida e queria que o senhor me ajudasse a especificar melhor.
    Eu queria saber se podemos dizer que o TROVADORISMO foi a primeira manifestação literária da língua portuguesa ? E em que século surgiu, no século XII ou no século XI?

  20. Harlen Eloi 1m2 disse:

    Oi professor, fiquei com uma dúvida e gostaria que o senhor me ajudasse a esclarecer melhor.
    Eu quero saber se podemos dizer que o TROVADORISMO foi a primeira manifestação literária da língua portuguesa? E em que século, no século XI ou no século XII?
    Obrigado pela sua colaboração!!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Harlen. Podemos sim. As origens da literatura Portuguesa datam do período do Trovadorismo.
      Aproximadamente entre os séculos XII ao XV.
      Abraço.

  21. daniele 1 m3 disse:

    Obrigada, você me ajudou muito Gabriel, mas creio eu que esse processo de adaptação não tenha sido tão rápido, porque foi uma mudança muito grande e eu acho que não poderia ser rápido, mais obrigada assim mesmo. O professor Dimitri vai pode me explicar essa questão melhor.

  22. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor , estou com uma dúvida, gostaria de saber que tipo de sujeito pode ser facilmente apontado na oração e subdivide-se em: simples e composto?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Matheus! Acredito que você deva estar se referindo ao sujeito DETERMINADO. Não existe um autor, que eu conheça, que dê exatamente esse conceito, essa subdivisão. Podemos dizer que o sujeito desinencial também é um sujeito determinado, assim como o simples e o composto. Pense, ele também pode ser determinado na oração. Ajudou?

  23. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    E também, gostaria de sabe melhor, qual a diferença entre os verbos intransitivo e transitivo? Abraço.

    • Matheus Barbosa Fiaes disse:

      Professor ,espero a resposta.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Os TRANSITIVOS são aqueles que não tem sentido completo. Eles representam ações que necessitam de algo que complete seu sentido.
      Ex: A garota gosta….(de que ela gosta?)
      Os INTRANSITIVOS são aqueles que possuem sentido, sem a necessidade de complementação.
      Ex: O papel acabou. (precisa de algo mais para entender o que aconteceu com o papel?)
      É isso!! Espero que tenha entendido.

  24. daniele 1 m3 disse:

    Professor, eu andei pesquisando sobre humanismo, e queria saber por que os textos literários gregos-romanos eram o mais lidos naquela época?

    • silas 1M2 disse:

      Dani acho que posso responder a sua dúvida, vamos lá:
      Na Grécia antiga quase não haviam escritos, eles tinham a tradição do conhecimento via oral, exemplo disto é o grande pensador grego Sócrates, ele nunca escreveu nada, apenas passava conhecimento de forma oral, e este foi passando e passando e hoje sabemos muitos pensamentos desse grande filosofo, que foi o um dos seres mais evoluídos do seu tempo.
      Já no Império romano o conhecimento era menos acessivo que o Grego, só a nobreza e o clero sabiam ler e escrever o latim (língua oficial do Império Romano), porém o Império romano foi também um grande marco na historia do Homem, lá que foi criado a primeira legislação ( Lei das Doze Tábuas), até hoje algumas destas leis fazem parte ou influenciaram códigos de leis oficias de nações, inclusive do Brasil.

      I hope help!!!
      Silas 1M2

      PS: Ah, Já ia esquecendo de chegar ao ponto, os textos gregos-romanos eram os mais lidos porque ambos Imperios eram os mais poderosos ( Tipo os EUA na atualidade, eles são a nação que mais influenciam o mundo no atual status quo) , claro que depois que Roma derrotou Atenas proibiram tudo que era grego, pois achavam tudo uma orgia (risos), mas com o renascimento a cultura Grega voltou a Tona.

      Agora sim acabei!!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Daniele. Os pensadores humanistas tinham nos greco-romanos seus, vamos dizer, ídolos! Suas referências, seus modelos.
      Eles estudaram a fundo os pensamentos deixados pelos gregos, sua lições científicas, seus ensinamentos. A grécia, como vimos em sala, é o berço do pensamento, das ciências.
      Assim os humanistas buscavam desenvolver esses estudos começados lá e interrompidos pelos acontecimentos históricos até então.

  25. Harlen Eloi 1m2 disse:

    Obrigada professor agradeço muito sua colaboração

  26. Crisóstomo disse:

    Olá professor, achei interessante a mudança do TEOCENTRISMO para o ANTROPOCENTRISMO, pois se não fosse essa mudança não existiria hoje o que chamamos de livre arbitrio.O TEOCENTRISMO prendia as pessoas daquela época num mundo irreal onde não existia paixão e amor para com os outros, eles viam a vontade de Deus como uma prisão, onde os pobres morreriam pobres pois assim era da vontade de Deus, mundo injusto não acha? É se como elas vivessem sendo castigadas por Deus a vida toda! Como se a existência de um criador fosse algo ruim! Eu não gostaria de viver num mundo assim, e você?

    • Dimitri disse:

      Concordo com você, mas acho que em parte algumas coisas continuam iguais. Em determinados lugares, em determinadas culturas, as pessoas parecem viver como a séculos! O pensamento Teocêntrico ainda vigora e pessoas ainda são castigadas. Mulheres são apedrejadas, vivem sem direitos, assim como outras pessoas. O direito máximo, que deveria sobrepor todos que é a IGUALDADE DE DIREITOS, não prevalece. Devemos lutar por igualdade!

  27. Maiara 1m3 disse:

    Professor mim responda esta pergunta. Fiquei em dúvida sobre ela. Por que naquela época os desígnios de Deus tinham o homem como senhor de seu destino e centro de todas as coisas?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Maiara! Primeiramente cuidado! Não confunda mim com me.
      Mim é um pronome que deve ser usado geralmente acompanhado de preposição. Veja:
      Você deve dinheiro a mim.
      Chegou uma encomenda para mim.
      já o me, que você deveria ter usado na frase – “professor ME responda esta…” vem sempre complementando um verbo. Veja:
      Preciso que me ajude.
      Ajude-me!

  28. silas 1M2 disse:

    Matheus vou tentar de ajudar, vamos lá:

    Verbo transitivo é aquele que precisa de complemento para fazer sentido.
    Ex: Não GOSTO de uva.
    O complemento é o verbo gosto, agora imagine sem esse complemente:
    Não de uva. ( Se eu falar vão dizer que é mais um analfabeto do Brasil, mas falando sério ficaria sem sentido se não houvesse complemento).

    Verbo intransitivo:
    Ao contrario do transitivo esse não precisa de complemento, ele é pleno e independente( ele é independente mesmo, não é tipo aqueles adolescentes malucos que mal saíram das fraudas e clamam ser adultos para cada canto da nação, risos).
    Vamos ver um exemplo:
    Ela morreu. ( Tem sentido pleno, não precisa de mais nada para entendermos a frase).

    I hope help!!!
    Silas

    Ps: Eu esqueci de colocar( não sou muito bem de memoria), o verbo transitivo é dividido em transitivo direto, indireto e direto indireto( parece coisa de maluco, mas é fácil de entender)
    Dica: Para entender melhor as divisões do verbo transitivo procura uma gramatica, pois infelizmente eu estou cansadinho e minhas mãozinhas precisam descansar.

    good luck!
    Se tiver alguns errinhos ortográficos vai desculpando…

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi gente posso participarda do debate? Vamos lá então. Preste atenção Silas. GOSTO é o verbo. Você deverá analisar se o verbo é transitivo ou intransitivo! O verbo precisa ou não de completomento! Qual é a transitividade do verbo GOSTAR?

      • silas 1M2 disse:

        É teacher errei no caso acima o complemento não seria “gosto” e sim “de uva”.
        Sorry Matheus……

  29. Harlen Eloi 1m2 disse:

    Oi professor preciso que me ajude, A poesia lírica dos provençais teve seguidores na França???

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Vamos discutir essa pergunta aí a fundo. A Provença era uma região da França. A poesia lírica a que você se refere seria qual?
      Se falamos da época do Trovadorismo, a cantiga de Amor, que é lírica tem sua origem na França.
      Que os provençais tivessem seguidores na sua própria terra (França) parece natural! Eles tiveram seguidores pela europa quase toda.( Itália, Portugal…)
      Mas me esclareça, qual é mesmo sua dúvida?

  30. Maiara 1m3 disse:

    É mesmo professor errei na palavra ! descupe-me, (rsrs) não erro mais. OBRIGADA!

  31. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor, estou com uma dúvida sobre o exemplo que o senhor deu no colégio.
    “Matheus quebou a cara”- é uma conotação ou uma denotação?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      A palavra “Cara” na tem que sentido? O sentido original – de rosto, ou este sentido foi amplificado?
      É isso que você deve estar atento. Se mantém o sentido original da palavra temos a Denotação.
      Caso o sentido seja amplificado e aplicado de maneira, vamos dizer, figurativa, então teremos a Conotação.
      E agora é denotativo ou conotativo o sentido na frase que você não entendeu?

  32. rosane brandão santiago disse:

    Professor, quando o texto é literário ou não?
    Desculpe a pergunta, é porque o assunto é novo pra mim.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Tudo bem Rosane, tem que perguntar mesmo! Esse espaço é uma extensão da sala de aula. Tem que perguntar lá e cá!
      Bom, não quero dar uma resposta direta a sua pergunta, pois é uma das questões do exercício que debateremos em sala na próxima aula.
      Mas nele você deve tentar associar ao nosso estudo de linguagem Denotativa e Conotativa. Aquela idéia de sentido original da palavra ou sentido amplificado.
      Qual tipo de linguagem, por exemplo você acha que encontra em um manual de instruções de uma televisão? Uma linguagem Denotativa ou Conotativa.
      E em um poema? Qual tipo de linguagem predomina?
      Pense no objetivo do texto, ele quer que você entenda uma única coisa, tem um único sentido, ou pode dar margem a que o leitor viaje e entenda de acordo com seu próprio sentimento?
      Assim são os textos literários e os não literários. Um deles dá margem a que o leitor solte a imaginação. Outro não, é objetivo.
      Reflita e encontre sua resposta… :)

    • Crisóstomo disse:

      Oi Rosane aqui é Crisóstomo e gostaria de te ajudar,o texto literário é quando você pode colocar tudo o lhe vier à cabeça, ser livre,colocar no papel o seu maior pensamento ou sentimento sem maior constrangimento.E… até que rimou! O tipo de texto que predomina num texto literário é o CONOTATIVO, por quê? O texto conotativo amplia o sentido da palavra fazendo com que o leitor interprete aquilo que você escreveu, assim você não precisará ser direta ou muito correta naquilo em que você quiser colocar no papel.
      Exemplos de textos literários conotativos:
      POEMA, LITERATURA, POESIA e etc.

      O texto não literário é um texto em que você tem que ser DIRETA na mensagem que você quer mandar, sem segundo sentido, então o tipo de texto que predominará num texto não litérario é o…qual mesmo?
      O DENOTATIVO, porque o texto denotativo é o que dá real sentido a uma palavra.
      Exemplos de textos não literários denotativos:
      TEXTO JORNALISTICO, MANUAL DE INTRUÇÃO e etc.

      Dúvidas pergunte a Dimitri, tenho certeza de que ele saberá lhe responder.thau!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        É isso aí Crisóstomo! Muito boa resposta. Sua idéia vai no ponto certo e sua redação está excelente, quase não corrigi nada, parabéns!!

  33. tayse 1M2 disse:

    Olá Professor, Sou Tayse Pereira da 1M2 vou estar sempre participando do blog pois, estive lendo as perguntas que os alunos fizeram e gostei .

  34. cleiton gomes disse:

    Olá professor, gostei do seu blog e pesquisei outra cantiga para o senhor.
    Cantiga de amor. Essa cantiga de Afonso Fernandes mostra algumas características de incorrespondência amorosa.

    “Senhora minha, desde que vos vi,
    lutei para ocultar esta paixão
    que me tomou inteiro o coração;
    mas não o posso mais e decidi
    que saibam todos o meu grande amor,
    a tristeza que tenho, a imensa dor
    que sofro desde o dia em que vos vi.”

    Nessa 1ª estrofe o trovador expressa o que sente mais de uma maneira que expressa súplica, a mulher que ele conheceu está sendo idealizada em que ele se declara a ela, ele expõe os argumentos que justificam sua desgraça.

  35. Matheus Barbosa Fiaes 1º M¹ disse:

    Olá Professor, gostaria de saber se os textos literários podem ser aqueles lidos, com palavras e os não literários são aqueles formados por figuras, imagens e marcas deixadas em qualquer lugar?
    Abraço, boas festas tchauu!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Não Matheus, não confunda as coisas. Todos os dois são textos escritos com palavras, textos são formados de palavras. É lógico que você transmite mensagens de outras maneiras, através de imagens, desenhos e muito mais. A questão que nos atemos quando dizemos um texto literário ou não é que o primeiro (o literário), tem valor artístico, usa recursos que tocam o sentimento do leitor, a subjetividade. O segundo (o não literário) busca a informação, a instrução, é objetivo. Entende?
      Veja por exemplo – um romance é literário, aquela notícia que você lê no jornal sobre o desabamento do casarão no pelourinho não.
      Espero ter ajudado!
      Um abraço e boas festas para você também!
      PS – Já viu as fotos do São João e o vídeo? Estão postados aqui no blog, comente!

  36. Maira disse:

    Olá prófessor, gostaria de fazer uma pergunta, tudo que for considerado arte podemos chamar de Estilo de Época?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Maira. Não é bem isso não! A arte, os pintores, escultores, escritores, ou seja, os artístas em geral são influenciados por acontecimentos, pelos fatos históricos de sua época e formam um conjunto. Características comuns entre os trabalhos de vários autores, similaridades entre obras, que durante um período de tempo predominam formando esse conjunto chamado Estilode Época. A arte é influênciada pelo estilo da época que ela pertence.
      Espero que tenha ficado claro.
      Abraço.

  37. geovane disse:

    olá prófessor Dimitri, meu nome é geovane e gostaria de fazer uma pergunta. Cantiga de Amigo pode ser considerada cantiga de Namorado ou um amigo muito próximo? Abraço e aguardo a resposta.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Geovane. Nas Cantigas de Amigo, quando o trovador diz amigo, quer dizer namorado. Então seria como se fosse mesmo cantiga de namorado. Essa questão do amigo muito próximo, não. É namorado mesmo.
      Abraço.

  38. David Camara 1m1 disse:

    Além de criar cantigas os trovadores tinha alguma outra função?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Não! Trovador é como se chamava o poeta medieval, e suas composições, cantigas. Então o que os trovadores criavam cantigas.

  39. silas 1m2 disse:

    Professor em poucas palavras, o que é estilo de época?
    Agradeço desde já!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Estilo de época é o conjunto de características artísticas comuns a um grupo de autores e suas obras em determinado período de tempo. Em poucas palavras é isso!
      Estou sempre as ordens!
      Abraço.

  40. luciano disse:

    Oi professor, praticamente estudei pra prova pelo blog.
    Depois eu deixo minhas dúvidas, estou lendo aqui, obrigado pela ajuda.

  41. tayse 1M2 disse:

    Tayse Pereira 1M2
    Olá professor em relação ao vídeo que assistimos em sala de aula, realmente o baiano não nasce estréia, muitos deles são muitos folgados, gosta de festas, o que eles devem fazer, não fazem que é reivindicar sobre os seus direitos e muitos politicos em vez de pegar essse dinheiro para estar fazendo festa porque não dão alimentos àqueles que precisam.
    Outro dia eu volto para debatermos um pouco sobre issso.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Tayse, é algo que devemos mesmo refletir, sobre a postura de cada um no dia a dia, sobre o respeito ao espaço do outro, ao espaço público, à convivência respeitosa, ao direito de nosso vizinho, do colega, enfim… A questão dos políticos, falta consciência política ao nosso povo, devemos pensar nisso já na escola, faz parte da formação estudantil conhecer sobre a polítiica e quanto ela influência em nossas vidas. Vivemos em um dos países com a maior arrecadação de impostos do planeta e um dos mais injustos com seu povo. Que benefícios temos com isso? O vídeo traz um pouco da imagem de nosso povo, que devemos lutar para mudar, e o primeiro caminho é o debate.

  42. Naiane1m2 disse:

    Professor, o significante da palavra é como a pessoa expressar através dos sons é???

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Naiane, vejamos se te ajudo!
      O significante da palavra é a parte material da palavra, ou seja, é formado por um conjunto de coisas que se somam, como a forma gráfica e a sonoridade produzida por ela. Caso você não conheça uma língua qualquer, vê uma palavra e escuta sua pronúncia, sem entender seu significado, você tem contato então apenas com o significante desta palavra. Espero que tenha entendido.
      Abraço.

  43. Naiane1m2 disse:

    Professor o significante: exemplo é o frasco de perfume e o significado é o perfume. Pode considera esse exemplo?

  44. gabriel Alcântara disse:

    xiiiiiiiii…. Me confundiu geral agora!!! Esse exemplo de Naiane me deixou com dúvidas.
    Já que o frasco de perfume é um significante , seria o perfume o seu significado?
    Não entendi mesmo…
    Para mim, já que eu sei o que é um frasco de perfume, ele já seria um significado, pois, eu saberia o que ele é. Eu vejo a palavra frasco de perfume e consigo pensar no que seja. Então, nada a ver o perfume ser o significado do frasco de perfume… Ai sinceramente me confundiu!!! Professor, me ajuda, por favor!

  45. Naiane1m2 disse:

    Gabriel, você pode saber o que está no frasco, mas não vai sentir o aroma. O significado está se referindo ao perfume que você pode sentir o aroma. Entendeu Gabriel???

    • gabriel Alcântara disse:

      Ah… Mais ou menos. Ainda continuo sem chegar à perfeição quanto ao assunto. Se quiser tentar me ajudar a compreender melhor esse seu exemplo… Sua ajuda será bem vinda!!!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Oi Gabriel e Naiane.
        Veja, estou adornado esse debate aí, mas vou interferir um pouquinho!
        Veja bem Gabriel, quando você olha para um frasco de perfume que você não conhece, você não consegue saber qual é seu aroma. Então você só tem o significante. Quando você cheira e senti o perfume aí sim você tem o significado, que associado àquele frasco (significante) lhe trará o signo. Isso tudo gente é uma analogia, que ligamos ao nosso estudo linguístico. Tudo isso são as palavras, a palavra é o perfume. KKKKKK. Quem não estiver estudando vai ficar doidinho!!

      • Gabriel Alcântara disse:

        Agora que me foi explicado que tudo o que Naiane falou é uma analogia, ficou mais fácil entender… A dúvida surgiu porque a própria Naiane não explicou que era uma analogia aí me fez encontrar dificuldade onde na verdade não tinha!!! Mas, obrigado por explicar professor, com a sua eu entendi. E realmente quem não estudar vai se confundir “geral”, rsrsrs!!!

  46. Tainá disse:

    Olá Professor, Eu gostaria de saber se as pessoas daquela época acreditava mesmo que Deus poderia dar a salvação a elas se elas seguissem os constumes da igreja?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Tainá! Bom ver você participando!
      Acredito que você deva estar se referindo à Era Medieval, no tempo do Trovadorismo. Mas, o que lhe digo vale para qualquer época – Milhões de pessoas hoje acreditam que a salvação divina se encontra nos mandamentos da igreja que frequentam! Imagine no século XII quando não havia estudo, ciência. Aí então era mais fácil ainda manipular o indivíduo!

  47. Tainá 1°M² disse:

    Obrigado Professor! Professor por favor, me explique direito porque nas cantigas de amor o eu-lírico é um homem e a de amigo é a mulher, embora os escritores fossem homens ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Tainá!
      Isso foi uma regra estabelecida pelos Trovadores. É como se fosse um modelo a ser seguido. Não conheço nenhum estudo que diga precisamente porque, mas podemos avaliar pelo contexto da época, pelo lugar da mulher na sociedade e o poder da religião. Pense bem, o que cabia a mulher nessa época? Ela era colocada sempre numa posição inferior, oprimida!

  48. Manoel Garcia disse:

    A conotação e denotação é um assunto que muitos não entenderão, elas são usadas em que tipo de texto?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      A conotação e a denotação são modalidades da linguagem e estão presentes em todos os textos. Cada texto, a depender de seu tipo e finalidade assume uma dessas formas, denotativa ou conotativa. Outros mesclam os dois tipos. Por exemplo, em uma linguagem poética sempre haverá a predominância da conotação porque essa linguagem brinca com o sentido das palavras e esse é o objetivo da poesia, fazer com que o leitor viaje nos sentidos. Já no manual de instruções de sua TV predomina o sentido denotativo, porque você não poderá viajar no sentido daquelas palavras. As palavras têm um único sentido. “O fabricante não vai querer ser subjetivo no manual e deixar que o cliente faça coisas erradas ao instalar o televisor!”

  49. Manoel Garcia disse:

    Será que no Renascimento o homem teria um poderoso laço com Deus? PELAS IMAGENS PODEREMOS VER QUE O HOMEM VÊ DEUS E O HOMEM QUASE TOCA NA SUA MÃO.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      O Renascimento aproxima o homem de Deus. Perde-se o temor a figura divina. Tudo isso graças ao pensamento científico, graças a possibilidade de mudança proporcionada pelo Renascimento.

  50. Manoel Garcia disse:

    Porque a comunicação de gesto e desenho não é usada muitas vezes como nos séculos passados?
    Será por causa da tecnologia que vem evoluindo cada dia mais?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Acredito que essa comunicação gestual nunca deixou de existir. Hoje usamos tanto quanto antes. Preste atenção no seu dia a dia. A todo momento na comunicação gesticulamos. É que essa comunicação é mecânica e muitas vezes não percebemos seu uso. Quanto aos desenhos estão incorporados à tecnologia. Fazem parte dela e estão por todos os lados. Veja bem como as sinalizações urbanas se fazem valer de desenhos, os rótulos dos produtos, são infinitos os exemplos. A comunicação sempre estará em constante evolução.

  51. Manoel Garcia disse:

    Professor eu percebi que os alunos aprendem mais com os debates, que nós possamos fazer mais debates em sala de aula até para o SR. ver o nosso desenvolvimento em série na escola OK.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Concordo plenamente e se você perceber a cada aula tento fomentar o debate, muitas vezes a maioria não participa. Mas não desisto e ainda verei cada um, até os mais tímidos dialogando. Você mesmo precisa falar mais!!

  52. Tainá 1}/][ disse:

    Professor o senhor pode me falar mais sobre o CONOTATIVO e DENOTATIVO ?

  53. Tainá 1°M² disse:

    Professor o senhor pode me falar mais sobre o que é CONOTATIVO e DENOTATIVO ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Tainá.
      Temos um bom apontamento sobre conotação e denotação aí no blog. Mas também é muito simples. Denotação segue o sentido literal, original da palavra. O sentido conotativo é o que vai além. Cria, desdobra, associa termos, os significados são construídos por associação.

  54. Tainá 1°M² disse:

    Hum. Obrigada!

  55. isabelle 1m1 disse:

    Professor, o senhor falou que foi mudada algumas coisas na linguagem para que falássemos igual a lingua de Portugal, mas isso ajuda em que o nosso pais? E pra que todo esse interesse pra que agente fale as mesmas linguas?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Isabelle.
      Na verdade existem alguns erros de interpretação na sua pergunta em relação ao meu discurso. Quando falamos no acordo ortográfico ele não afeta diretamente a linguagem que falamos, mas sim a escrita. Claro que elas se relacionam, mas o acordo, assim como todas as regras gramaticais da língua, estabelece padrões que na linguagem oral nem sempre são seguidos a risca. O acordo unifica a escrita em todos os países que têm a língua portuguesa como oficial (A lista deles você tem aí na página). Também não vejo nenhum benefício tão grande ou direto para nosso dia a dia. Para o miserável que está pelas ruas sem perspectiva então! O fato é que alguém deve lucrar com isso. Temos sempre que questionar os decretos políticos que não têm finalidade prática na vida do povo. O acordo é uma dessas coisas que acontecem no Brasil e nos são “empurradas goela abaixo!” O certo é, alguém sempre lucra! E muito raramente é quem necessita!

  56. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor Dimitri Sarmento, sou Matheus do 1°M¹. Gostaria de saber se tem como o senhor, me explicar alguns casos especiais da concordância verbal? Abraço!!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Poderia sim, mas farei diferente! O que é concordãncia verbal?

      • Matheus Barbosa Fiaes disse:

        Estudar a concordância verbal Professor é, basicamente, estudar o sujeito, pois é com este que o verbo concorda. Se o sujeito estiver no singular, o verbo também o estará; se o sujeito estiver no plural, o mesmo acontece com o verbo. Então, para saber se o verbo deve ficar no singular ou no plural, deve-se procurar o sujeito, perguntando ao verbo Que(m) é que pratica ou sofre a ação? ou Que(m) é que possui a qualidade? A resposta indicará como o verbo deverá ficar.

        Por exemplo, a frase As instalações da empresa são precárias tem como sujeito “as instalações da empresa”, cujo núcleo é a palavra instalações, pois elas é que são precárias, e não a empresa; por isso o verbo fica no plural.

        ESPERO QUE ESTEJA CORRETO!!!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        É isso mesmo! Parabéns pela pesquisa!

      • Matheus Barbosa Fiaes disse:

        Obrigado! Agora o senhor podera , me explica alguns casos especiais da concordância verbal?

  57. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Professor, aprendi muitas coisas sobre a linguagem coloquial, que pode ser uma linquagem informal ou popular. Agora na linguagem informal eu uso muitas gírias e palavras infanto-juvenis isso é corrreto? Somente, Abraço!!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Na linguagem coloquial tudo é permitido. Estarei postando já, já um material com texto e vídeo sobre linguagem e comunicação que, acredito você vai gostar. Abraço.

  58. Tainá 1°M² disse:

    Olá Professor, se referindo a aula sobre o novo acordo ortográfico o senhor disse que no País de Portugal vão haver um grande número de mudanças e no Brasil tbm, só que o nosso País tem renda, o Senhor quis dizer que o Nosso País tem mais condições que o País de Portugal ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Vamos clarear as coisas! O que discutimos em sala baseados no vídeo da tv portuguesa mostrando o inconformismo português com algumas regras do acordo, que desaparecem com as consoantes mudas que eles falam e as que nós falamos permanecem, e a confusão que isso está causando lá, nos faz refletir o porquê disso. Vimos, juntos, que o fator economico deve ser preponderante. Hoje é claro o Brasil é um país com maior PIB que Portugal, com maior arrecadação e investimento estrangeiro, assim, como segue a roda mundial, quem tem mais poder economico pode conseguir mais benefícios para si. Injusto mas verdade!

  59. Tainá 1°M² disse:

    Nossa que interessante eu não sabia disso. obrigada!

  60. Tainá 1°M² disse:

    Professor por qual motivo criaram esse novo Acordo Ortográfico ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Segundo dizem, “- Para aproximar os países falantes da língua portuguesa”. Mas pelo vídeo que assistimos da tv portuguesa parece que essa aproximação não deu muito certo! Minha opinião é que foi criado por motivações econômicas.

  61. Tainá 1°M² disse:

    É eu também fiquei sabendo que era para aproximar os Países que falam Português, mas não sabia o motivo real, pois todo mundo fala várias coisas diferentes aí fiquei perdida.

  62. alexandre campos 1m1 disse:

    Todas as palavras paroxítonas perdem o acento ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Todas não!
      Dê uma olhada na página que crie com o resumo do Acordo Ortográfico. Lá você encontra essa regra das paroxítonas.

  63. alexandre campos 1m1 disse:

    a palavra vôo agora é escrita sem acento ou das duas formas ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      “Caiu o chapéuzinho da palavra voo” – assista o vídeo com o prof. Pascole Cipro Neto aqui na página de português.
      Tem todas as regras básicas e fica fácil de gravar com múltiplos recursos.

  64. OI ALEXANDRE, A PALAVRA VOO, COMO CREEM AGORA É ESCRITA ASSIM, NÃO VÃO CONTINUAR COM OS ACENTOS.
    TODAS AS PALAVRA PAROXÍTONAS COM O DITONGO [EI E OI] PERDERÃO O ACENTO.
    EX: IDEIA, JIBOIA, BOIA E ETC , AGORA SE ESCREVE ASSIM.

  65. OI ALEXANDRE.A PALAVRA VOO,CREEM AGORA É ESCRITA ASSIM,NÃO VÃO CONTINUAR COM OS ACENTOS.
    TODAS AS PALAVRA PAROXÍTONAS COM O DITONGO [EI E OI] PERDERÃO O ACENTO.
    EX:IDEIA,JIBOIA,BOIA E ETÇ ,AGORA SE ESCREVE ASSIM.

  66. flavia 1 m2 disse:

    Olá! Dimitri, queria saber se posso postar um resumo sobre a literatura barroca mesmo sem você ter começado o assunto.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Pode sim Flávia. Agora dê uma resumida no texto pesquisado. Leia e reescreva, assim você memoriza e treia a redação.

      • flavia 1 m2 disse:

        Vou dar uma resumida sobre o que é o Barroco para vocês colegas:
        – Momento sócio-cultural:
        A contra-reforma, movimento da igreja católica contra o protestantismo, tem grande influência sobre o pensamento barroco, sendo uma das causas da dualidade da época.
        O Barroco procurou conciliar o sagrado e o profano, o medieval e o renascentista, o homem e o divino. Daí a profunda angústia do pensamento da época.

        – Características literárias:
        A maior característica do Barroco é a contradição. Expressa a dualidade de um homem que oscila entre fé e prazer, celestial e terreno.
        A literatura barroca é rebuscada, baseada em uso abusivo de antíteses, figuras de linguagem tornando-se por vezes obscuras.

        – Principais autores do barroco brasileiro:
        Bento Teixeira, Gregório de Matos, Padre Antônio Viera.

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Perfeito Flávia. Muito boa pesquisa!! É isso aí, antecipou o conteúdo que iria postar. A busca pelo conhecimento é assim, quem sai na frente aprende mais!

  67. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá Professor, gostaria de sabe onde e Quando podemos praticar o Metamodelo de Linguagem?Abraço!!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Matheus.
      Não sei muito sobre o Metamodelo de Linguagem! Sei que faz parte de um estudo chamado Programação Neurolinguística, criado nos Estados Unidos da América na década de 70, se não me engano por um matemático, que não me lembro o nome também. O que sei é que é uma forma de raciocínio lógico que tem por objetivo a memorização mais fácil de conteúdos por analogia. Não é muito minha praia, acho que estudo é leitura e a partir da repetição adquiri-se conhecimento, sem formulas mágicas. Mas cada um tem sua forma de estudo. Caso se interesse mais pesquise na internet, você deve encontrar muitos sites de escolas de administração, onde se usa mais esse estudo, com informações. “Depois você conta pra gente!!”
      Desculpe por não poder te ajudar mais!
      Abraço.

      • Matheus Barbosa Fiaes disse:

        Ta obrigado!
        Professor, “O metamodelo foi criado pela PNL a partir de diversos princípios da gramática transformacional e a partir de observações e modelagem de pessoas que desempenhavam com excelência a prática clínica. Bandler e Grinder observaram, dentre outros, Frits Pearls, Milton Erickson e Virgínia Satir. A partir dessas informações o metamodelo pode ser codificado em padrões eficazes de comunicação para que as falhas fossem detectadas. Com essa técnica podemos tornar nossa comunicação mais incisiva e com isso chegar mais facilmente ao nosso objetivo.

        Quando nascemos e choramos o que nossas mães fazem é interpretar nosso choro. Ele pode ser de fome, de alguma dor ou mesmo para pedir colo. A nossa existência acontece quando podemos nos expressar com palavras. Para nos constituirmos como seres, precisamos do laço, e o nosso vínculo social acontece através da fala”.

        Esta pesquisa foi a única coisa que eu descobri sobre o Metamodelo de Linguagem !!!!!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Mas por que você se interessou sobre o asunto?

      • Matheus Barbosa Fiaes disse:

        Olá professor, me interessei no assunto porque pesquisei sobre os tipos de linguagem, estava com dúvidas, agora sei que o Metamodelo de Linguagem está inserido socialmente no nosso cotidiano. Sabemos hoje que a comunicação é um processo vital ao nosso desenvolvimento. Quanto mais rica e mais precisa ela for, mas rápido chegamos aos nossos objetivos. A parte prática do Metamodelo acontece quando
        os elementos básicos da comunicação estão presentes. São eles:

        • Emissor – emite, codifica a mensagem. Aquele que diz algo a alguém.
        • Receptor – recebe, decodifica a mensagem. Aquele com quem o emissor se comunica.
        • Mensagem – conteúdo transmitido pelo emissor para o receptor
        • Código – conjunto de signos usado na transmissão e recepção da mensagem. A comunicação só será efetiva se o receptor souber decodificar a mensagem.
        • Referente – contexto relacionado a emissor e receptor
        • Canal – meio pelo qual circula a mensagem

        ESPERO QUE TENHA ENTENDIDO PORQUE EU ME INTERESSEI NO ASSUNTO!!
        MELHORAS!!!

      • lobatoumolharvirtual disse:

        Sim claro! Você pesquisava sobre linguagem, viu em um site e leu.
        Todas essas coisas que você enumera como emissor, receptor, mensagem…são os elementos do processo de comunicação, que já estudamos na I unidade, lembra?
        Mas é isso aí Matheus, tem de pesquisar e descobrir novas coisas, mas tem de se aprofundar na pesquisa. Uma dica, aproveite sempre para praticar a escrita, reescreva todos os texto que você estudar sem copiá-los. É um excelente exercício de redação, melhora a capacidade de raciocínio e o vocabulário.
        Obrigado pela atenção!

  68. Gabriel Alcântara disse:

    Olá professor Dimitri! Gostaria de tirar uma pequena dúvida a respeito da arte Barroca. Bem, durante a leitura que o senhor passou na aula passada, lia-se:
    … havia duas mentalidades, diferentes maneiras de enxergar o mundo… O PAGANISMO e a sensualidade do renascimento, em declínio (decadência).
    O que é que está em declíno? O paganismo e a sensualidade do renascimento? Ou o Paganismo é uma das características e a sensualidade do renascimento que se encontra em declínio?
    BEM, eu acho que é uma questão de interpretação, mas, eu não consegui entender justamente isso!! Me explica por favor!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Gabriel. O texto refere-se ao declínio do próprio Renascimento. O Paganismo e a sensualidade, como características renascentistas, declinavam junto com todo o movimento passando a conviver com novas características artístico-literárias, as do Barroco. Espero que tenha ficado mais claro para você agora!
      Qualquer coisa é só perguntar!

  69. Maira disse:

    Olá prófessor gostaria de fazer uma pergunta ? o que é Neologismo, Regionalismo e Estrangeirismo. obrigada até a proxima

  70. cristian 1m1 disse:

    Professor, eu gosto muito do seu trabalho e o blog foi um incentivo para nos aprimorarmos mais. O senhor trabalha muito bem e espero que continue assim, um professor dedicado e que se importa com os seus alunos. Muito obrigado por ser meu professor.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Você é um amor Cristian! Não faço mais do que minha obrigação como educador! Esse é meu trabalho, contribuir para que meu aluno construa conhecimento. Abraço.

  71. Fernanda Caroline disse:

    Verdade cristian ele é um ótimo professor o melhor que já tive.

  72. cristian 1m1 disse:

    Professor eu tenho uma dúvida. O que difere o regionalismo do neologismo?
    Abraços.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      São muito diferentes Cristian.
      Neologismo é o uso de novas palavras para designar coisas, ou novas coisas na sociedade. Pode partir de palavras já existentes na língua ou não. Por exemplo, a palavra presidenciável, que vem de presidente, é um neologismo pois não existia esse termo a alguns anos. Mas passou a figurar na linguagem política e hoje é incorporado ao vocabulário.
      Os regionalismos são expressões ou palavras próprias de uma região do país. Como já expliquei em sala, na Bahia temos a interjeição OXI, ou melhor em uma região da Bahia, mais ao norte é OXENTE. O mineiro usa UAI, e assim por diante.

  73. cristian 1m1 disse:

    obrigada pela resposta professor.

  74. cristian 1m1 disse:

    Norma culta ou linguagem culta é uma expressão empregada pelos linguistas brasileiros para designar o conjunto de variedades linguísticas efetivamente faladas, na vida quotidiana, pelos falantes cultos, sendo assim classificados os cidadãos nascidos e criados em zona urbana e com grau de instrução superior completocidadãos nascidos e criados em zona urbana e com grau de instrução superior completo.

  75. cristian 1m1 disse:

    A linguagem coloquial, informal ou popular é uma linguagem utilizada no cotidiano em que não exige a observância total da gramática, de modo que haja mais fluidez na comunicação feita através de jornais, revistas e principalmente num diálogo. Na linguagem informal usam-se muitas gírias e palavras infanto-juvenis e livros de muitos diálogos. Em contrapartida a linguagem formal ou culta é aquela que carrega consigo a rigidez das normas gramaticais, utilizada principalmente em textos e profissões que a exigem como no Direito ou na Matemática.

  76. Fernanda Caroline disse:

    Olá professor Dimitri eu li um livro sobre Barroco está semana e estou com uma dúvida no que se trata do cultismo e conceptismo, gostaria que o senhor me explicasse um pouco esse tema obrigada até a próxima.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Fernanda. Na aula de amanhã estaremos justamente discutindo esses conceitos junto com outras características da literatura barroca. Releia o conteúdo nesse livro que você citou e leve suas dúvidas para o debate amanhã. Será muito produtivo.
      Abraços.

  77. cristian 1m1 disse:

    Professor, estou me preparando para fazer o meu conto de terror e espero que o senhor goste! Tchau.

  78. Gabriel Alcântara disse:

    BARROCO – CONFLITO E DUALIDADE… Tenho que dizer que, por enquanto, é o estilo de época mais interessante de estudar, tirando o TROVADORISMO que eu amei mesmo, tudo a ver comigo… O Barroco me enche os olhos, e para minha auto ajuda, eu criei um texto com a base que tenho do barroco…Para me ajudar a compreender mais o Estilo:

    DELEITO-ME NA ESCURIDÃO SÓ PARA LIVRAR-ME DESSA LUZ PASSAGEIRA.
    NÃO HÁ SAÍDA PARA O FIM! POIS, NEM PODE A LUZ DURAR, NEM PODE PARA SEMPRE A ESCURUDÃO EXISTIR. SIM, PARA TUDO HÁ UM FIM, SENDO ASSIM… COMO PODE ALGO EXISTIR HOJE SE AMANHÃ NÃO ESTARÁ MAIS AQUI? COMO PODE ALGO BOM SER LIMITADO? COMO PODE ALGO EXCELENTE NÃO SER EXAGERADO? E COMO PODE UMA DOSE DE AMOR NÃO SER IFINITA, SE TODO O AMOR QUE É DADO É TIRADO JUNTO COM A VIDA? A VIDA BOA, PROVEITOSA E FINITA!!!

    PROFESSOR, ESSE TEXTO QUE EU FIZ PODE SER CONSIDERADO BARROCO?

  79. Fernanda Caroline disse:

    Professor por que o renascimento reforçou o absolutismo monárquico?

  80. Fernanda Caroline disse:

    Professor enviei meu conto de terror espero que o senhor curta. É de arrepiar as espinhas.

  81. Fernanda Caroline disse:

    Ok Professor por que o renascimento reforçou o absolutismo monárquico?

  82. Gabriel Alcântara disse:

    Professor, eu estive lendo o livro de língua portuguesa na parte do Barroco… Li um texto de Gregório de Matos, simplesmente perfeito, sinceramente! É um texto que fala sobre a formação do homem. Ali vem retratando que o homem é simplesmente PÓ e Deus faz questão de lembrar disso por meio das igrejas… Eu estou estudando bem o Barroco e tentando interpretar cada um dos textos… Realmente o Boca do Inferno era um grande escritor. Quando eu crescer quero ser tão bom quanto ele na escrita,rsrsrs ele colocava muito bem suas ideias no papel. Lendo parece que tem alguém falando de tão perfeito que é!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Que bom Gabriel, é isso aí! Interpretar os textos é o melhor exercício para compreender um movimento literário. Concordo sobre Gregório de Matos. Os textos são maravilhosos.

  83. Maira disse:

    Boa noite Dimitri, gostaria de fazer uma pergunta sobre Barroco. Por que o homem barroco era angustiado e conflitante?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Bom Maira, como debatemos em sala, para entender o movimento Barroco você deve conhecer o contexto histórico que o cerca e, principalmente, o que veio antes do Barroco, o Renascimento.
      As consequências sociais provocadas pelo renascimento, pelo antropocentrismo, pela reforma protestante, pela urbanização, enfim, todas as mudanças sociais do período e os desdobramentos posteriores a essa mudança na sociedade aliada ao movimento empreendido pela igreja católica, conhecido como contra-reforma, que restaura sua força e faz com que o indivíduo passe a conviver com uma dualidade. De um lado o pensamento antropocentrico e toda a evolução social prorcionada por ele no renascimento e de outro o pensamento teocentrico, difundido pela igreja católica, vem justamente causar essa angústia e o conflito latentes no homem barroco.

  84. Maira disse:

    Dimitri, e por que o Barroco expressa essa exuberância nas artes plásticas?

  85. geovane disse:

    Olá Dimitri, meu nome é Geovane e gostaria de fazer uma pergunta. Por que no Barroco o poeta não tinha nenhuma perspectiva diante da vida?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Olá Giovane.
      Em primeiro lugar devemos analisar essa afirmativa sobre o poeta barroco não ter perspectiva diante da vida. Não vejo dessa maneira. O que o poeta barroco expressa em sua poesia é uma incerteza sobre a vida e o conflito entre o pecado e o perdão, já que a única certeza que tem é da morte.

  86. cristian 1m1 disse:

    Professor, eu queria saber se o senhor vai colocar na prova o assunto sobre cultismo e conceptismo, porque eu estou estudando sobre isso também.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Cristian,
      Como na avaliação será cobrado tudo sobre o Barroco é importante estudar qualquer característica ligada a este estilo de época.

  87. Fernanda Caroline disse:

    Professor eu não vi no blog nada falando sobre neologismo, estrangeirismo, gírias e regionalismo gostaria que o senhor me explicasse melhor já que é um dos assuntos da prova da III unidade.

  88. Fernanda Caroline disse:

    Professor eu estava aqui assistindo sua vídeo aula de predicado quando me bateu uma dúvida na parte de predicado verbal na frase ELES PRECISAM DE INSTRUÇÕES na vídeo aula diz que o verbo é transitivo indireto e o objeto é indireto. Não intendi pois o verbo não tem sentido completo.

  89. Fernanda Caroline disse:

    Oi professor. Seu blog está fazendo um sucesso na minha casa. Todo mundo que chega aqui eu mostro seu trabalho espetacular, e mostro o meu texto do Pensar em Mudar, sobre a sociedade baiana. Minha mãe disse que o senhor é o máximo e disse que o mérito é todo seu. Ela viu suas vídeos aulas e amou. E eu estou aqui estudando muito pra tomar uma ótima nota na sua prova dia 19 de setembro. Obrigada por ser um professor tão bom e que mostra a realidade para seus alunos. Obrigada por me fazer aprender, tanto na escola com suas aulas megas perfeitas, que nos fazem aprender sobre quase tudo, sobre a sociedade, educação e política. E me ensinar também em casa com nosso espaço virtual que nos ensina ainda mais. Obrigado por ser essa pessoa tão especial que me faz pensar em ter um futuro ainda melhor, que me faz pensar em fazer uma faculdade que eu goste, não me contentar com pouco e querer sempre mais e mais. Você é um ser espetacular, faz de tudo pra seus alunos serem homem e mulheres que queiram subir na vida. Obrigada por tudo. Beijos de sua aluna Fernanda Caroline. Obrigado.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Assim você me faz chorar….kkkkk!
      Mas que bom que você esteja tão animada e que meu trabalho esteja realmente despertando isso em você e sua família. Não faço mais que minha obrigação profissional, como cidadão formador de opinião e educador. Parabéns a nós dois pois meu trabalho é conjunto ao seu. Sem o retorno do aluno o que seria do trabalho de um professor?
      Obrigado a você e sua família pelo apoio.

  90. Lanna Lima disse:

    Depois de Gregório De Matos, quem foi o personaguem mas conhecido do Barroco ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Lana! Já respondi a essa pergunta aqui mesmo. Sem dúvida foi o Padre Antônio Vieira com seus sermões! Particurlarmente gosto também de manuel Botelho de Oliveira.

  91. Lanna Lima disse:

    Qual é o nome da figura de linguagem que predomina no Barroco ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Lana! Acho que não diria uma figura de linguagem, mas algumas predominam. As metáforas, antíteses, paradoxos e hipérboles são as favoritas da literatura barroca com certeza!

  92. Gabriel Alcântara disse:

    BOA NOITE, PROFESSOR DIMITRI!
    ANALISE ESSA ATIVIDADE SOBRE PREDICADO, VEJA SE ESTÁ CORRETA, POR FAVOR!

    PREDICADO NOMINAL – QUANDO O PREDICADO TEM COMO NÚCLEO, UM NOME. PALAVRA QUE INDICA QUALIDADE DO SUJEITO. EXEMPLO:

    1. LUÍSA PERMANECEU CALADA.

    O PRIMEIRO PASSO É LOCALIZAR O VERBO, QUE NO CASO É “PERMANECEU” VERBO PERMANECER QUE É UM DOS VERBOS DE LIGAÇÃO. DEPOIS FAZER A PERGUNTA: QUEM PERMANECEU CALADA? LOGO SERÁ REVELADO O RESPONSÁVEL PELA AÇÃO, OU SEJA, O SUJEITO: LUÍSA, SUJEITO SIMPLES POR TER APENAS UM NÚCLEO. A SEGUIR, TENDO ACHADO O SUJEITO, TODO O RESTO É O PREDICADO: PERMANECEU CALADA. AGORA BASTA DESCOBRIR O NÚCLEO DESTE PREDICADO. VOU APLICAR A FÓRMULA DADA PELO PROFESSOR DIMITRI EM SALA DE AULA:

    QUAL DESSAS FRASES TERIA MAIS SENTIDO: LUÍSA PERMANECEU OU LUÍSA CALADA?
    AO FALAR LUÍSA PERMANECEU, AINDA HÁ UM POUCO DE DÚVIDAS, TAIS COMO: PERMANECEU O QUÊ? COMO? MAS, AO FALAR LUÍSA CALADA, PODEMOS VISUALIZAR A CENA DE UMA MENINA CALADA, EM SILÊNCIO… LOGO, EIS O NÚCLEO DO PREDICADO!
    *OBSERVAÇÕES: AO APRENDER TODOS OS VERBOS DE LIGAÇÕES, NÃO PRECISA NEM FAZER TANTA COISA, É MATADO A PAU A QUESTÃO, POIS, ONDE HÁ VERBO DE LIGAÇÃO, HÁ PREDICADO NOMINAL.
    * É PRECISO SABER A SEGUINTE FÓRMULA: PARA O PREDICADO SER NOMINAL, É PRECISO A ORAÇÃO ESTAR NA SEGUINTE ESTRUTURA:

    SUJEITO+ VERBO DE LIGAÇÃO + ADEJTIVO…
    BEM, PELO MENOS FOI ASSIM QUE ENTENDI… PROFESSOR, CERTO OU ERRADO?
    DEPOIS EU FALO SOBRE AS OUTRAS DUAS CLASSIFICAÇÕES: VERBAL E VERBO/NOMINAL!

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Tudo correto Gabriel. Apenas duas resalvas. Cuidado com o verbo de ligação estar sempre no predicado nominal. Sozinho na oração ele formará sempre predicado nominal. Mas ATERNÇÃO caso ele venha numa locução verbal com outro verbo principal. A segunda coisa é quando você mostra a estrutura do predicado nominal. Prefira chamar esse adjetivo que você coloca pela nomenclatura correta, que seria Predicativo do Sujeito. Apenas isso, no mais, como você mesmo disse ESTÁ MATADO A PAU!!

      • Gabriel Alcântara disse:

        kkkk… É isso mesmo, esqueci desse PREDICATIVO DO SUJEITO, é porque eu fiz baseado no que eu entendi e acabei esquecendo do predicativo do sujeito!!! Vou estudar, eu não quero fechar o ano sem tomar dez na minha disciplina predileta!

  93. Gabriel Alcântara disse:

    O pior é que para fechar a prova não dependo só de Português e sim de Inglês também… Detesto estudar Inglês…chatooooo!!!

  94. larissa pereira 1M3 disse:

    PROFESSOR, GOSTEI MUITO DOS CONTEÚDOS QUE O SENHOR COLOCOU NO BLOG. MUITO BOM MESMO. EU TENHO QUE TE AGRADECER POR ISSO, CONTINUE ASSIM, ESSE PROFESSOR.

  95. carla disse:

    Oi professor, sou eu, Carla do 1ºm1. Não tenho muito para falar sobre os assuntos de literatura brasileira, pois tive um pouco de dificuldades em entender. Peço desculpa e vou tentar me esforça mais para melhorar mais minhas notas. Uma boa noite para o senhor e agradeço sua atenção em ler o meu depoimento no blog.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Que isso Carla!
      Fico feliz com sua participação, mas quero mesmo ver isso acontecer de maneira efetiva.
      Não deixe de usar o blog como uma ferramenta de leitura, de redação, de aprendizagem.
      Abuse desse professor bastante, perguntando, questionando, mandando seus textos para serem postados.
      Esse espaço é para lhe dar voz e conhecimento.

  96. cíntia disse:

    Boa noite professor Dimitri, aqui quem fala é Cíntia do 1m1. Eu vim para lhe dizer que eu tive muitas dificuldades em entender o assunto que falava sobre Barroco e literatura, por issso eu não comentei nada sobre o asssunto que estudamos nessa unidade, me desculpe por alguma coisa que fiz. Bjsss e uma ótima noite de sono.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Que pena Cìntia. Não entender nada seria mais um bom motivo para você participar perguntando, falando sobre o que você está tendo dificuldades.
      Somente expondo suas dúvidas você poderá obter respostas e este espaço foi feito para colocar essas dúvidas para que juntos possamos sana-las.
      Lembre-se disso e não deixe passar na próxima unidade.
      Abraço.

  97. cíntia disse:

    Dimitri, uma boa sorte na vida e em todos os momentos da sua vida.

  98. Fernanda Caroline disse:

    Professor Dimitri, sua prova estava magnifica, muito bem colocada a parte de literatura principalmente. Tive algumas dúvidas em algumas questões, tenho fé que vou tomar uma nota boa. Oruim é que eu não sou muito boa em inglês e isso influência muito a nota na prova. Mas eu gostei dos textos postos, tanto na parte de neologismo, gírias e estrangeirismo, quanto no barroco, classicismo e trovadorismo gostei muito dos textos.

  99. cristian 1m1 disse:

    Professor, sei que não fui nada bem na prova, mas peço desculpas por não ter aprendido o assunto. O senhor é um professor tão dedicado, ensina tão bem e eu que deveria aprender não aprendo me desculpe.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Mas é claro que você aprende Cristian. Podemos ter assuntos em que temos maior dificuldade.
      Agora sempre acho que falta ainda ao alunado mais leitura. Passei a unidade inteira sugerindo leituras, no livro didático, em sites, no próprio blog.
      Nesta unidade senti menor sua participação com perguntas em sala, então tente pensar em melhorar sua participação e não se culpe.
      Olhe para frente e modifique seu futuro. Aprenda com seus erros.
      Abraço.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Parabéns pelo conto e não deixe de ficar atenta à questão da pontuação que lhe disse. Prefira períodos mais curtos!

  100. cristian 1m1 disse:

    Está bom professor, vou estudar mais pontuação e vou melhorar. Na quarta unidade vou tomar 10 se Deus quiser.

  101. cíntia disse:

    cíntia 1m1:O tempo barroco denomina genericamente todas as manifestações artísticas dos anos 1600 e início dos anos 1700. Além da literatura, estende-se à música, pintura, escultura e arquitetura da época.
    Mesmo considerando o Barroco o primeiro estilo de época da literatura brasileira e Gregório de Matos o primeiro poeta efetivamente brasileiro, com sentimento nativista manifesto, na realidade ainda não se pode isolar a Colônia da Metrópole. Ou, como afirma Alfredo Bosi: “No Brasil houve ecos do Barroco europeu durante os séculos XVII e XVIII: Gregório de Matos, Botelho de Oliveira, Frei Itaparica e as primeiras academias repetiram motivos e formas do barroquismo ibérico e italiano”. Além disso, os dois principais autores – Pe. Antônio Vieira e Gregório de Matos – tiveram suas vidas divididas entre Portugal e Brasil. Por essas razões, neste capítulo não separaremos as manifestações barrocas de Portugal e do Brasil.

  102. cíntia disse:

    cíntia 1m1: Eu gostaria de apresenta para vocês um pouco que do que pude aprender. Renascimento, período da história européia caracterizado por um renovado interesse pelo passado greco-romano clássico, especialmente pela sua arte. O Renascimento começou na Itália, no século XIV, e difundiu-se por toda a Europa, durante os séculos XV e XVI.

  103. cíntia disse:

    cíntia 1m1: Nos predicados verbais e verbo-nominais, o verbo é responsável também por definir os tipos de elementos que aparecerão no segmento. Em alguns casos o verbo sozinho basta para compor o predicado (verbo intransitivo).
    Em outros casos é necessário um complemento que, juntamente com o verbo, constituem a nova informação sobre o sujeito. De qualquer forma, esses complementos do verbo não interferem na tipologia do predicado. São elementos que constituem os chamados termos intregrantes da oração. No primeiro caso, temos um predicado nominal e no segundo um predicado verbal. Quando, num mesmo segmento o nome e o verbo são de igual importância, ambos constituem o núcleo do predicado e resultam no tipo de predicado verbo-nominal.

  104. Gabriel Alcântara disse:

    http://saiba-por-galcantara.blogspot.com/ = BLOG DE JORNALISMO GABRIEL ALCÂNTARA

  105. Tainá 1º m² disse:

    Professor, quando for obrigatório usar o novo acordo ortográfico, se alguém continuar escrevendo a velha ortografia vão considerar errado ?

    • Matheus Barbosa Fiaes disse:

      Olá Tainá!! Eu sou Matheus do 1° M¹, gostaria de te ajudar, se alguém continuar escrevendo a venha ortografia vai esta errado sim porque, Para começar, é bom ter em mente que, quando se diz que escrever assim ou assado é certo ou errado, tem-se como parâmetro a gramática normativa. Isto é, são as regras previstas na norma culta – que deve ser respeitada em ambientes formais, como na escola, no trabalho etc. Quem não respeita essas regras não está propriamente escrevendo errado – apenas não está obedecendo à gramática normativa.

      ESPERO QUE TENHA APRENDIDO!!!! TCHAUU ATÉ SEGUNDA….

  106. alexandre campos 1m1 disse:

    ainda existe alguma chance da ortografia ser mudada novamente?

  107. alexandre campos 1m1 disse:

    quero compartilhar uma informação que adquiri em minha pesquisa sobre processo de formação de palavras : na língua portuguesa ,em função da estruturação e origem das palavras encontramos a seguinte divisão :

    *palavras primitivas -não derivam de outras (casa , flor )
    *palavras derivadas – derivam de outras (casebre ,florzinha)
    *palavras simples – só possuem um radical(couve,flor)
    *palavras compostas :possuem mais de um radical (couve- flor,aguardente).

  108. Manoel Garcia disse:

    Professor os alunos da sala estão pedindo para o SR. passar um trabalho mas o SR. poderia passar uma atividade de criatividade sobre a língua portuguesa. pense.

  109. Matheus Barbosa Fiaes disse:

    Olá professor!!
    Li o conteúdo da 4ª unidade, estou com uma dúvida muito importante sobre o processo de formação de palavras, ñ entedi, tem com o senhor me explicar? Abraço!!

  110. Naiane1m2 disse:

    Dimitri, Por que o colégio não leva alguns alunos para a bienal do livro? Será muito legal, estarmos próximo dos livros.

  111. Manoel Garcia disse:

    Professor, eu entendi que a democracia é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões politicas. Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é “o Povo”, isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a “tirania da maioria”. Eu entendi que as comunidades que têm uma boa democracia têm sua liderança comunitária e essa liderança comunitária é escolhida pela comunidade. A comunidade escolhe uma pessoa que tenha um bom debate, estudo e respeito e acho que o líder comunitário deve propor com os políticos uma forma de vida melhor para sua comunidade, como projetos esportivos e desenvolvidos para cada tipo de comunidade. Esse líder deve estar sempre a ativa de tudo que se passe na comunidade, na política e etc.
    Gostaria que o SR. respondesse a respeito do meu comentário, não copiei nada, só falei o que pensava a respeito do debate.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Muito bom Manoel, vejo que suas idéias amadureceram bem após o debate. Gostaria muito que você tivesse colocado esse posicionamento durante o debate, teria acrescentado muito às discussões.
      Realmente a democracia necessita da participação popular e de representantes autenticos da comunidade. Líderes que levem a voz da maioria e defendam os verdadeiros interesses do povo.
      Nada melhor do que alguém que esteja inserido nesta comunidade, que conheça suas necessidades e participe ativamente de seu cotidiano.
      A democracia é um regime justo apenas quando é vivida plenamente e essa vivência não poderá acontecer sem que a população seja ativa e tenha voz forte e atuante.

  112. alexandre campos 1m1 disse:

    Professor, sobre o debate, na minha opinião o povo deveria primeiro querer mudar essa realidade da politica. Poderiam, por exemplo, protestar. Mas para um protesto as pessoas tem que entender o que está acontecendo e não tapar os olhos e fingir que está tudo bem. Temos que ir as ruas e impor nossos direitos de cidadões. O que você acha ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Bom Alexandre, acho que o caminho é difícil já que muita coisa deve ser mudada até chegarmos a esse estado de consciência social. A população precisa de conhecimento antes de mais nada. Esse desenvolvimento social não será alcançado rapidamente ou num estalar de dedos. Apenas com o desenvolvimento do ensino, de políticas sérias e ações que promovam justiça social poderemos mudar o país.

  113. alexandre campos 1m1 disse:

    Ainda sobre o debate, eu concordo com a ideia que foi posta em questão, que para termos um voto consciente temos que pesquisar sobre os candidatos, o seu passado e o que já fizeram pelo pais.

  114. Tainá 1º m² disse:

    Professor não entendi direito sobre a CRASE. porque a dica é substituir uma palavra feminina por outra masculina ?

  115. Tainá 1º m² disse:

    Professor, eu estou estudando sobre a economia brasileira e vi muitas conversas de que o Brasil está cada vez mais ecônomico porque estão tentando pagar dívidas, será isso mesmo ou o dinheiro das economias estão indo direto para o bolso dos políticos ?

  116. rameson lima 1m1 disse:

    Oi professor eu estava lendo sobre o arcadismo e não entendi muito, porque eles valorizavam a vida no campo e criticavam a vida nos centros urbanos ?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Rameson. Bom ter sua participação nas discussões.
      Os árcades valorizavam a vida no campo como um ideal de vida. Como fizeram uma retomada da antiguidade clássica e da cultura greco-latina procuram reviver esse ideal.
      Preste atenção ao nome Arcadismo e de onde vem sua derivação. Da Arcadia, região da Grécia. Continue sua pesquisa procurando ver sobre esse lugar como era a vida lá. Assim você entenderá porque os árcades buscavam essa vida. Pesquise também o que era as expressões Fugere Urbem e Locus Amoenus. Nos próximos dias estarei postando um material com vídeo sobre o Arcadismo também.

  117. Fernanda Caroline disse:

    Oi professor Dimitre hoje na atividade avaliativa sobre complementos nominal e verbais fiquei com certas dúvidas em várias frases tipo essa ”João ficou à disposição” como vou saber qual é o tipo de complemento. Já tentei entender mas não conseguir se puder me ajudar agradeço.

  118. Fernanda Caroline disse:

    ?Porque as pessoas referem o arcadismo como século das luzes?

  119. cintia disse:

    CINTIA 1M1; Boa tarde professor. Eu sei que não fui bem na prova, mas estou me esforçando para tomar um nota melhor na última unidade.

  120. carla disse:

    Carla 1m1; Oi professor, gostaria de ter sido uma aluna muito aplicada neste ano, mas não fui! Se eu for sua aluna ano que vem vou me aplicar mais e obrigada por ser paciente na minha rádio e as das meninas.

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Por nada querida.
      Ser paciente faz parte da minha profissão. Quanto a ser mais aplicada nos estudos lembre-se que é um bem que fará a você mesmo.
      É cuidar de seu futuro!
      Abç.

  121. Maíra disse:

    olá prófessor o que Formação de palavras tem a ver com Neologismos?

  122. Maíra disse:

    A Formação de palavras é juntar uma palavra com a outra?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Pode ser sim. Há palavras formadas por processos de composição, que é, como você expressou, “juntar uma palavra com outra”. Pode-se também formar palavras por processos de derivação, de uma palavra originar-se outras. Você deve ler o apontamento e assistir à vídeo-aula aqui no blog. Poderá ser muito útil!

  123. Maíra disse:

    Na linguagem culta pode colocar linguagem coloquial?

    • lobatoumolharvirtual disse:

      Oi Maira! São duas modalidades diferentes da linguagem. A linguagem culta é a formal, que obedece às regras da gramática normativa. Já a coloquial é aquela que obedece a regra da comunicação rápida, informal e social, adequa-se à situação comunicativa. Leia mais nos apontamentos e assista a vídeo aula no blog que poderá facilitar seu intendimento.

  124. Rafael Novaes 1m3 disse:

    Professor Dimitri.
    Seu blog esta muito bom para estudar, está tudo muito bem explicado, estou entendendo tudo sobre o assunto que você passou para a recuperação.
    Obrigado.

  125. Gabriel de Alcântara disse:

    Só uma pergunta… O senhor ensina para alunos do segundo ano ? Se a resposta for não, então não serei mais seu aluno :( Tenso…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s